Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Próxima Paragem

Próxima Paragem

Confidências

Poucos sabem. Também não são muitos com quem falo sobre mim, é verdade... 

Hoje conto-vos algo que provavelmente não irei ser de verdade, mas poderei fazer tudo de outra maneira que não propriamente esta.

Adorava ser mochileira. Amava é a palavra certa. Acho que me ia saber virar muito bem apenas com uma mochila ás costas e partir na aventura. 

Gosto de ler blogs de mochileiros. Gosto de imaginar como seria se fosse comigo, muitas das situações que eles escrevem.

Gostava de viajar mais, conhecer novas culturas, pessoas, provar novos sabores. Visitar templos, museus, saber histórias locais, ver coisas que nunca vi... um infindável de coisas que não fiz ou vá, vou fazendo, aos bocados.

Não é por acaso que já tentei, há muito tempo atrás ir trabalhar para um barco turístico no Luxemburgo. Enviei o meu curriculum e esperei uma resposta, que veio, passado uns dias a dizer que naquele momento não precisavam de ninguém, embora agradeciam o meu contacto e que não se esqueceriam de mim.

Eu ia, sem medo nenhum, sozinha. Queria juntar algum dinheiro e viajar. Viajar muito. 

A vida entretanto mudou, no meu ponto de vista para melhor, mas este pequeno "bichinho" de querer viajar, não mudou absolutamente nada.

É preciso dinheiro, coisa que não se tem num estalar de dedos, não é verdade?

Hoje, tenho um bom emprego mas também tenho despesas o que faz com que eu não tenho muito tempo para viajar como gostaria e nem dinheiro para tais viagens de sonho, pois penso nelas mas no meu futuro também. Por isso mesmo, ser mochileira, acabou por ficar de lado. Guardei para, quem sabe um dia, o fazer. Nunca é tarde para realizar os nossos sonhos. 

Os chamados mochileiros são pessoas que levam a vida de uma forma descontraída, alegre, vivem para viajar e o pouco que ganham aqui e ali é mesmo para isso, para viajar.

Eu considero-me muito aventureira, só não sou mais porque também me sinto muito bem como estou, mas em cada oportunidade lá ando eu a inventar qualquer coisa. Aliás, não só eu como o meu companheiro de aventuras. Até ele passou a gostar das minhas ideias.

Ao que já li, sei também, que tem os seus "segredos" e trocar uma vida comum para uma vida de mochileiro tem as suas vantagens e desvantagens.

Ora veja-mos que:

Um/a mochileiro/a faz viagens por contra própria, não anda cá com agencias de viagens.

Procura sempre o melhor lugar em conta para dormir e para comer obviamente.

Nunca o mais caro, mas sim o mais barato possível e muitas vezes sem pagar sequer.

Aí já é um pouco sorte, não é para todos. Mas por favor, nada como uma que li, que dormiu num lugar onde o cheiro a esgoto era intenso. Bem, meus caros leitores, nem oito nem oitenta. Isto realmente para mim não ia dár. Há mesmo necessidade disto? Eu acho que não.

Eles fazem o seu próprio roteiro. Eles pesquisam e preparam tudo sozinhos. Ás vezes as agências fazem o básico dos básicos. Pela internet vemos muitas mais coisas que podemos fazer num local e os preços são bem melhores.

É preciso tempo para pesquisar.

Sabem e procuram sempre os lugares mais tranquilos. Vão a locais que nem os turistas imaginam que existem e gostam de ir com calma, com tempo, sem stress.

Um verdadeiro mochileiro não é aquele com barbas grandes, cabelo com rastas, chinelo de dedo, estilo Hippe. É errado pensar que são todos assim. Os mochileiros são exploradores por natureza, vêem a vida de uma forma diferente, têm conhecimento de muitas coisas e eu gosto muito de gente assim. 

Levam pouco nas suas mochilas. Apenas o suficiente, o essencial, nada mais. Já os turistas levam duas malas a rebentar pelas costuras. Ok, eu levo uma cheinha  mas isso não quer dizer que não fosse capaz de levar apenas o essencial. 

Porem, li também, que não é propriamente a mochila que o/a define, não tem de ser aquelas enormes, mas sim aquelas malas/mochilas que nos derem mais jeito.

Admito que depois de ler alguns blogs, percebi que existem muitas formas de ver ou pensar o que é exactamente um mochileiro/a e fiquei assim, meio que, baralhada. Por momentos achei que fosse mochileira, mas não. Eu não sou. Falta-me qualquer coisa. Não sei bem o que, mas hei-de descobrir.

Em breve vou fazer uma das viagens da minha vida. Aquela que me irá sem duvida marcar para sempre e vou mesmo fazer questão disso. Será uma viagem enriquecedora a todos os níveis e cheia de experiencias.

Não vou como uma mochileira, mas vou com o pensamento da mesma. 

Esperei mais ou menos, um ano e seis meses para a organizar, juntar dinheiro, ver os roteiros, comprar os bilhetes e fazer as malas. 

Estou ansiosa. Entristece-me não poder viajar mais,por mais tempo, mas o pouco que faço já me deixa extremamente feliz e com vontade de mais, mais e mais. Ainda me falta conheçer muito e vou muito a tempo para isso.

Em breve conto-vos tudo