Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Próxima Paragem

Próxima Paragem

Escuridão da Noite

Nunca pensei que a noite passa-se a ter tanto significado para mim.

Sempre gostei muito do silêncio e por isso mesmo gosto muito da noite.

Gosto, quando vou trabalhar e na rua não tem quase ninguém, as ruas estão praticamente livres. Passa um ou outro carro. Os semáforos ainda estão ligados e ainda se vê uma ou duas pessoas a passear os cães.

Nas janelas ainda se vê luzes, ainda consigo ver televisões ligadas, candeeiros, pessoas andar, pessoas sentadas ou a cozinhar…sim porque aqui na Alemanha não existe essa de persianas, mas sim cortinas finas ou até mesmo apenas janelas nuas onde se consegue ver tudo para dentro das casas.

Ás vezes é uma sorte encontrar alguém na paragem do comboio e as vezes até mesmo dentro do comboio.

Quando volto para casa o cansaço está literalmente em mim.

 O comboio vem cheio e eu só procuro um cantinho para me sentar, ás vezes é preciso mesmo sorte.

Gosto de vir no meu canto sossegada, sem falar com ninguém. Gosto de vir a ouvir a minha musica e ir olhando para o lado de fora a pensar (…)

Quando saios do comboio, as escadas que tenho de subir parecem não ter fim. Mas tem de ser, é o ultimo esforço da noite. E lá vou eu, ansiosa por chegar a casa.

Lembro-me de um dia, que estava a caminho de casa e estava a nevar. Eram por volta das 5h da madrugada. Desliguei a musica assim que vi que estava completamente sozinha.

Estava frio e eu só queria chegar a casa, mas ate lá ainda tinha de andar uns 15 minutos.

Fui ouvindo as minhas próprias pegadas e a ver o desenho das minhas botas na neve.

Ando, ando, até que paro!

Paro e apercebo-me de que o único som até aquele momento fora apenas as das minhas pegadas.

 E olhei em volta.

Uau…indescritível.

Lindo. Parei a olhar a neve cair nos telhados. Não se ouvia absolutamente nada. Estava tudo completamente branco.

 Dei por mim a ter certeza de que adoro trabalhar durante a noite.

Adoro estes pequenos momentos onde não se vê nem se ouve nada nem ninguém. Adoro ver os semáforos a piscar como que a darem passagem ao trabalhador que vem cansado e apenas quer chegar a casa rápido.

Adoro sentir cheirinho a pão que está no forno da Padaria todos os dias, quase prontinhos para sair. Às vezes acho que estão mesmo a minha espera.

O chegar a casa de madrugada e deitar-me nesta imensa escuridão e silêncio é tão bom que não me vejo a trocar isto por nada.

O poder ir a janela e apreciar este silêncio, esta calma, esta paz faz-me ter a certeza que fiz uma escolha certa.

Não sei o dia de amanha, e gosto de pensar pouco nele, embora às vezes seja inevitável.

Mas gosto de saber que neste momento tenho um trabalho que me tem dado muitas oportunidades e saber que durante a noite o mundo é só meu, é sem duvida uma delas.

Boa Noite.

2 comentários

comenta este post