Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Próxima Paragem

Próxima Paragem

Ser Bombeira Voluntária na Alemanha #6

Eu sempre digo e repito constantemente, o tempo é que nos ajuda.

O tempo diz-nos tudo o que a gente quer saber, assim como só ele nos pode ajudar em grandes momentos da nossa vida.

Neste caso ele ajudou-me a ultrapassar uma pequena vergonha, que vos contei ultimo post desta pequena história. 

Passado três semanas voltamos e as coisas iam correndo.

Não estava de todo interessada em continuar ali.

Para que? Para me chatear, com quem, no fundo até tinha razão? Não. O melhor era desistir. Eu não sabia falar o que eles queriam que eu falasse, em pouco tempo.

Uns dias melhores, outros piores, piadinha aqui, piadinha ali e tudo passava. Até que chegou um grande dia.

Mundial de 2014. Portugal-Alemanha. Convite para irmos assistir o futebol com eles...claro que sim, porque não?

É só futebol.

Ok, tirando a parte de a gente ter perdido, tudo correu muito bem. A sério que sim, não vos vou mentir.

Nem eu me iria chatear muito, afinal de contas gostava que Portugal ganha-se mas se não tivesse-mos essa sorte, que foi o caso, claro que estaria do lado da Alemanha. Faz parte da minha vida é aqui que a faço e desejo continuar a fazer, automaticamente estaria dos dois lados. 

Ora, embora eu pense assim, naquele dia, é quase que inexplicável, pois queria mesmo que Portugal ganha-se.

A rivalidade no futebol (e não só) existe.

Caneco!!! Não que eu fosse fazer grande festa, mas vocês sabem, o Mundial deixa qualquer com os cabelos em pé. 

Nesse dia de convívio, todos levaram comida para a gente ir petiscando enquanto o jogo decorria. 

Salsichas, saladas, sumos e cerveja. Muita cerveja. Festa sem cerveja na Alemanha, não é festa.

Eu, levei uma tarte (má escolha), o frigorifico que tinham lá não poderia ser pior. Paciência, nada a fazer. Comeram e eu vim só com a tarteira vazia embora. Foi bom sinal. Desenhei as letras iniciais dos nossos Países, as respectivas bandeiras e a taça do Mundial. Achei engraçado e eles também.

 Já não me lembro bem, mas na altura Portugal começou logo a perder, ainda nos primeiros minutos.

Obvio que eles diziam que o Cristiano Ronaldo não joga nada e que é arrogante.

Um falava, outro criticava e eu ia comendo para não ter que me chatear muito, ainda mais depois de ver que a gente ia de facto perder o jogo. 

Cada golo que Alemanha marcava, eles faziam uma festa enorme, mas mesmo enorme.

Cantavam, gritavam e tocavam até vuvuzelas.

Nós, dois "tristes" Portuguesinhos ali no meio, encolhia-mos os ombros, ainda com uma pequenina, mas bem pequenina esperança que o jogo mudasse.

Azar, foi muito azar. Tivemos de levar com aqueles sons frenéticos deles e sorrir como se a gente não se tivesse importado. 

Por ultimo, antes de virmos embora, tirámos umas fotos com as bandeiras de Portugal e Alemanha.

Apesar de tudo, ainda havia boa gente, poucos mas boas, já diz o ditado...e aquele dia ficou e ficará sempre na memória.