Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Próxima Paragem

Próxima Paragem

Hoje foi o dia

Sim foi o dia de correr tudo o que devia ter corrido no Sábado.

Foram trinta minutos, com subidas e descidas de escadas e fiz dois quilómetros.

Fora os exercícios que faço no meu tapete cá em casa. Agora que fiz a instalação do programa NIKE+ no meu telemóvel já vejo melhor onde devo melhorar.

Vai com o tempo, claro!

Tenho adorado. Tem me feito bem melhor do que passar os dias em casa no sofá apenas a ler, dormir ou a comer.

É certo que o meu trabalho requer um pouco de agilidade corporal, o que faz com que o desporto que tenho feito é mais que suficiente. Mas agora tenho uma meta. Maratona.

Sim, sim eu sei...talvez estou a sonhar alto, mas até Outubro tenho tempo de melhorar e aperfeiçoar. 

Vamos lá ver se é desta que participo, no mínimo, na mini-maratona.

Hoje falhei!

É verdade! Hoje eu falhei.

Hoje era dia de corrida, dos milagrosos trinta minutos que só me fazem bem.

Deixei-me levar pelo quentinho de casa, a televisão com bons filmes e a fazer umas natinhas a dois pela cozinha.

Hoje estamos de folga e isso ajuda com que eu queira ficar em casa no sofá a namorar.

Porém, amanha ele não está, o que significa que amanha será um treino redobrado. Um treino como na ultima quinta-feira com corrida, escadas e o famoso "saltar as cordas", não à caloria que resista, o que na verdade só faz bem ao nosso corpo. 

Já escolhi o meu novo relógio que mede os batimentos cardíacos, agora só falta comprar ou ganhar de presente.

Tenho feito uma alimentação boa e não exclui nada, apenas tenho mais atenção nas quantidades, mas a verdade é que a minha alimentação tem sido muito rica no que diz respeito a legumes e frutas.

Durante a hora de trabalho também bebo imensa água, entre 1L e 1,5L. 

Escrevo sempre num papel cada vez que faço treinos e já fez, na ultima Quinta-feira, uma semana que comecei a levar tudo mais a sério.

O meu grande problema sempre foram os doces e hoje estraguei-me. Nada a fazer!

Agora é continuar e o mais importante é não desistir.

Bom Domingo.

Crianças sem Pai

"Só tenho pena é daquelas crianças" Desculpem mas esta frase mete-me um nojo que nem vos passa, mais nojo me mete quem o disse, esquecendo assim que este ser que se diz humano, tem filhos e não sabe o dia de amanha.

Sim, porque ainda à gente que acha que o Mundo gira só a volta desta, assim como se esquece que têm uma filha e nenhuma mulher infelizmente, está livre de que tais coisas aconteçam.

Claro é, que também existe crianças sem Mãe e sendo assim só trocaria do meu texto a palavra Pai, pois sei que sucede muitas mulheres fazerem todos os papeis menos o de Mãe.

Adiante....

Uma criança sem pai, terá uma Mãe a fazer os dois papeis, para além de que terá ainda pessoas que ajudaram, se assim poderem, no que for preciso para estas. Não é nem mais, nem menos que isto.

A maioria destas Mães de "M" grande que fazem os dois papeis, são pessoas com histórias de vida, com sentimentos e que trazem com elas muita luta, muita garra, alguma magoa mas também muita força e mais que tudo, muito amor para com os filhos. Não devem nunca ouvir tais coisas. Estas crianças não vão ter menos amor, menos carinhos, menos mimos ... serão iguais ás outras e muito provavelmente mais amadas. Pois, infelizmente uma fotografia ou uma família que se diz feliz, nem sempre o é na verdade. Nunca ninguém sabe o que se passe por de trás de quatro paredes e infelizmente, eu conheço vários exemplos disso.

Felizes das crianças que têm uma Mãe como eu descrevi, sei que serão sempre amadas e mimadas como nunca.

O dia da escola chegará e só têm de aprender a dizer que têm uma Mãe, irmãos e amigos que valem muito mais que uma pessoa que se diz Pai.

 

Mas que aborrecimento Senhora Dona Merkel!!!

Saio do trabalho ansiosa por chegar a casa, visto que o cansaço a esta hora toma conta de mim.

Entro no autocarro e o que supostamente era para ser de dois lugares sentados é um e meio, pois a pessoa ao lado acha que aquilo é tudo dela....autocarro esse que me trás até à paragem do comboio, chego aqui e deparo-me com 30 minutos de atraso. Ora, está um frio dos diabos, os colegas mesmo que fumem lá ao fundo o cheiro a tabaco entranhasse pelo meu nariz, nem o vento gelado ajuda a levar isto para outro lado e pior que isto é que, minha gente, eu estou a con-ge-lar.

Fico aborrecida, pois claro que fico. Já à pelo menos dois dias que tem sido assim.

Caneco!!!! Vou reclamar à Merkel.

Òh chanceler assim não dá, não dá mesmo! Temos de trocar de lugar haver se gostas.

Hoje faz um ano

É verdade, hoje faz um ano e não poderia estar mais Feliz.

Faz um ano em que todo o meu esforço valeu a pena, em que estudar alemão foi e é todos os dias compensador, ouvir e falar alemão é todos os dias um teste na qual as vezes passo mas outras vezes não, estou constantemente aprender e adoro.

Um ano em que o dia passou a noite, em que as horas mudaram mas o prazer da rotina voltou a ter aquele sentido que eu tanto gosto.

Faz um ano que encontrei o trabalho em que me sinto bem, o trabalho que me deixa com sorriso de orelha a orelha, em que nada me faz confusão, em que os colegas não poderiam ser melhores, mesmo que as ovelhas negras me queiram incomodar, até estas têm a sua graça.

Um ano que espero que seja o primeiro de muitos, com aprendizagens diárias e motivação à mistura.

Tive sorte.

Tive muita sorte.

Empilhei-me, dediquei-me, fui paciente e no fim consegui.

Estou orgulhosa de mim e feliz por ter pessoas que me escreveram e me falaram sempre que eu ia conseguir na altura da entrevista e dos testes. Obrigada.

E obrigada mais ainda ao meu mais que tudo que esteve sempre do meu lado e quando foi a vez dele do lado dele eu estive.

Confiar e acreditar em nós próprios é o primeiro passo para conseguir algo, disso tenho a certeza.

Hoje faz um ano que a minha vida ganhou ritmo, mais cor e sei bem que não passo de mais uma sortuda. Sortuda que vai aproveitar ao máximo todas as portas e janelas que se abrirem e se alguma se fechar um dia, será apenas mais uma nova aventura.

Nunca tive medo delas, bem pelo contrário. Adoro. Até lá, aproveitar é onde está o ganho.

Força de vontade é essencial

Força de vontade é essencial

Ainda não sou propriamente uma mulher do verdadeiro estereótipo do género deste titulo, mas já sou uma principiante, porem ainda no inicio.

A verdade é que na ultima Quinta-feira foi o meu primeiro treino.

Por várias vezes me dediquei a esta pratica de desporto e até tive resultados. Já consegui três semanas seguidas e até senti o bem que me fez, o quanto me valia a sensação de ter conseguido e a alegria de ver que estava mais flexível, assim como o meu peso até diminuiu juntamente com aulas de dança, mas algo me destabilizou e deixei com que estragassem todo o meu esforço. Culpa minha é verdade! Desta vez quero e vou levar a sério, não acho que seja assim tão difícil, apenas acho que não devo dar ouvidos ao que me dizem porque pior do que aquilo que dizem é aquilo que a gente deixa de fazer por tal coisa.

Não fui uma aluna exemplar nas aulas de educação física, mas nunca me achei das piores. Fiz natação e pratiquei durante dois anos Windsurf no qual conquistei três medalhas. Sempre amei perdidamente doces e por isso nunca tive um corpo escultural e também acho que não é agora que o vou ter, contudo sinto que tenho que olhar mais pela a minha saúde e não só.

A minha família é de diabéticos a começar pela minha Mãe. Tenho medo desta doença e sei bem que não tem cura. Como já disse sou perdida por doces e isto assusta-me imenso ás vezes.

Por isso decidi e desta vez sem medo e nem qualquer tipo de sentimento menos bom, começar mais uma vez e fazer da corrida um bem essencial no meu dia-a-dia. Entre três a quatro vezes por semana para já, durante 30 a 40 minutos, com corrida e caminhada ligeira, tudo com boa musica à mistura.

O livro da Cristina Mitre é um bom exemplo para me ajudar em tudo que diz respeito a corridas.

Tenho gostado imenso e a historia de vida que lá está escrita sobre uma outra mulher é realmente uma forma de me fazer ver como sou e somos uns sortudos por termos saúde e poder-mos fazer coisas, que muitos infelizmente não podem da mesma maneira. Aconselho a comprar para quem estiver com ideias de querer levar a corrida mais a sério. A saúde é o meu bem essencial, sem esta, não sou nada e muito menos consigo alguma coisa. Por isso quero estima-la e melhora-la. Fazer da corrida um habito e conseguir dela o melhor que nos dá, pois sei que o prazer no fim de uma corrida é realmente muito bom.

Ás vezes cheguei a pensar que já percebia quase tudo sobre correr, sobre os aquecimentos, o equipamento para dias de chuva e muito frio, sobre a ida ao médico, até porque li bastante acerca destas coisas, achei que não precisava de me informar mais sobre corridas e certo é, que tenho andado aprender e muito, a começar pelas roupas, que sempre achei que eram as de algodão as melhores, ERRADO ....

Corridas

Enfim, este livro tem me ajudado imenso e gosto de tudo aquilo que incentiva uma pessoa a querer mudar porque sem duvida dá-nos mais vontade de vencer e ver que afinal até sou capaz. Não que tenha grandes duvidas, mas as primeiras semanas são realmente cruciais no que diz respeito a praticar um desporto que se quer ter como um hábito. Mas bem, vou-me agora deitar que amanha é dia de corrida matinal antes de ir trabalhar. Pois é minha gente, ainda à quem trabalhe ao Domingo.

Continuação de bom fim de semana para vocês e façam como eu, adquiram um bom novo hábito, pela vossa saúde. 

 

Vou contar-vos uma história, conhecida por alguns mas desconhecida e esquecida por muitos

Era uma vez uma ilha, onde moravam todos os sentimentos: a alegria, a tristeza, a sabedoria, a vaidade e entre outros.

Certo é, que o melhor deles todos, o amor, estava também presente! Um dia ele foi avisado pelos moradores que a aquela ilha iria afundar.

Sendo assim todos os sentimentos apressaram-se em sair. Pegaram nos barcos e partiram. Mas, o amor ficou, pois queria ficar um pouco mais com a ilha antes desta se afundar.

Quando estava quase afogado, o amor começou a pedir ajuda e nesse exacto momento passava a riqueza num lindo barco e o amor disse-lhe:

Riqueza leva-me contigo! 

- Não posso, há muito ouro e prata no meu barco, não há lugar para ti. - respondeu a riqueza.

O amor pediu então ajuda à vaidade:

- Vaidade, por favor, ajuda-me!

- Não posso ajudar-te amor. Estas todo molhado e podes estragar o meu barco novo. - Respondeu a vaidade.

O amor, pediu ajuda a mais um sentimento que passava, à Tristeza:

- Tristeza, leva-me daqui!

- Ah amor! Estou tão triste que prefiro ir sozinha. - disse ela.

Passou entretanto a alegria mas esta estava tão alegre que nem ouviu o amor chamar.

Desesperado, o amor começou a chorar... foi então que ouviu uma voz chamar.

- Vem amor, eu levo-te.

Era um velhinho. O amor ficou tão feliz que se esqueceu de lhe perguntar o nome.

Chegado ao outro lado, o amor pergunta à sabedoria:

- Sabedoria, quem era aquele velhinho que me trouxe?

- Era o tempo!

- O tempo? Mas porque foi ele o único que me trouxe e ajudou?

- Porque só o tempo é capaz de perceber, compreender e ajudar o amor.

 

Esta história foi partilhada imensas vezes em redes sociais e escrita por milhares de pessoas. Mas a autora desta linda história chamas-se Rosa Fonseca.

Confesso que à uns anos atrás não sabia, pois recebi esta história uma vez por carta, escrita por alguém especial.

Recebi esta história por vários motivos, mas o principal foi que, para quem não me conhece a palavra "tempo" está sempre na minha boca, principalmente quando digo ( e são imensas vezes) " calma, que o tempo cura tudo" ou "o tempo diz-me tudo" e "o tempo é o meu melhor amigo". 

E é que é mesmo assim. O tempo é aquele que me dá certezas, ajuda-me imenso e diz-me tudo o que quero e não quero saber.

Estando ele presente na minha vida constantemente dá-me a perceber todas as peças do puzzle desta minha vivencia. Faz também com que eu compreenda o certo e o errado, o que deveria ou não ter feito em muitas situações e tudo isto contribui para um crescimento pessoal e emocional.

Ajuda-me essencialmente a analisar as pessoas e a perceber quem está ao meu lado, quem não está, quem me apoia e quer o meu bem, quem gosta e quem não gosta de mim. O que é muto bom. Pois amigos destes, são raros e nunca, mas nunca nos decepcionam, pois este só cá está para me ensinar.

É com ele que aprendo aperfeiçoar e a compreender o que gira a minha volta, seja bom ou mau.

Com ele, estarei sempre protegida, demore o tempo que demorar.

Duas Natas e uma Bola de Berlim cheia de creme

É que foi mesmo assim. Duas deliciosas natas e uma bola de berlim cheia de creme ás 23horas da noite.

Uau... acreditem estou satisfeitinha da minha vida!

E sabem o que me deixa mais feliz ainda?

É que tenho mais uma para amanha e outra que congelei.

A minha Mãe chegou hoje de Portugal e trouxe com ela exactamente o que pedi. Bolas de Berlim. Mas, trouxe também outras coisas, uma das quais o que os meus sogros mandaram, as ditas Natas, aquela maravilha que se desfaz na boca.

Vocês não conseguem imaginar o prazer que é comer um destes bolos quando já não se come os mesmos há muito tempo. É bom. Mesmo bom. 

Estar fora é estar "ougado" é sentir falta. Ás vezes é também saudade, de coisas que simplesmente não temos aqui... até podemos ter na verdade, mas é em outras cidades e nunca são tão boas como em Portugal. 

Nada como matar assim a saudade. A gente dá bem mais valor as coisas quando estamos fora do que quando estamos em Portugal. Não é por acaso que sempre que vou lá, engordo mais uns quilos. Estou "quase" sempre a comer, mas bolos é sem duvida alguma, a minha perdição. 

Os bolos na Alemanha são bons, tem alguns que até adoro, mas os nossos são diferentes. São únicos, especiais, todos os cremes e recheios em geral são hiper bons e como diz o ditado "o que é português é bom" e pronto. É o suficiente para ficar com saudade e comer que nem uma perdida cada vez que estou de férias. Enfim... nada que não resolva quando estou de volta à terrinha da chanceler Merkel.

Quando se chega de Portugal, regra geral chega-se de coração cheio. 

Eu pessoalmente, cada vez que lá vou vejo pessoas que não via à muito tempo, sejam eles familiares, vizinhos, colegas, amigos e conhecidos.

Ora, tenho noticias/novidades sempre de alguém ou de alguma coisa que eventualmente tenha acontecido, noticias essas que são boas, outras que nem tanto, mas a vida é mesmo assim. Nem sempre corre como a gente quer.

Vou matar saudades do mar, este sim é daqueles que é "prioritário". 

Almoço e janto sempre aquela comida que aqui não faço com tanta frequência e outras comidas que nao faço mesmo. Peixe fresco é que tenho de comer cada vez que lá vou. /p>

Em Portugal como sabem, o peixe é sempre fresco e o sabor é absolutamente diferente,claro!

Enfim, mil e uma coisas que a gente faz ou espera ter sempre tempo de fazer. Umas vezes dá tempo, mas no fim falta sempre alguma coisa. Mas voltar Alemanha é sempre bom e conversar, contar novidades mais ainda. Amo Alemanha e acho que já não me vejo a ficar em Portugal. Contudo, gosto de lá ir e matar saudades daquilo que acho que ainda vale apena perder meu precioso tempo. Perder dependendo do ponto de vista, na sua grande maioria até ganho mais do que aquele que perco.

Fiquei feliz pelos bolos e mais ainda de ver a cara de felicidade do meu irmão.

Ele tem apenas oito anos e ir a Portugal é para ele uma aventura. Vê-lo crescer já é óptimo e ver ele feliz cheio de novidades, a falar que nem um "tagarela" mais ainda.

Faz-lhe bem apanhar aqueles ares. 

Este ano vou voltar lá também e já sei que irei ficar mais "pesada" nessa altura...(risos)...Mas sem problema, afinal agora vou dedicar-me mais a um desporto que gosto e já tentei, sem grande resultado, fazer sem me deixar ir abaixo. Quem sabe agora eu até consiga.

Vou falar dele num dos meus próximos posts, mas posso deixar um "cheirinho"... Cristina Mitre, diz-vos alguma coisa?

Pois é... vamos lá ver se é desta.

 

 

Menos cinco graus com sensação de menos catorze

O titulo é exactamente o que diz no meu telemóvel. Sim, está muito frio.

Certo é que estamos no tempo dele, mas quando as temperaturas descem assim, só dá vontade de estar dentro de casa com os aquecedores ligados.

A Alemanha é muito conhecida pelas suas estações do ano, pois são todas lindíssimas, mas o Inverno é sem duvida a estação do ano mais famosa.

O Inverno na terra da Senhora Angel Merkel, começa em Outubro, mas ainda assim existem dias em que a temperatura consegue chegar ao 18 graus, por pouco tempo, claro! Depois mais ou menos até Dezembro varia entre os 10 e os 2 graus.

Agora que estamos em Janeiro, posso dizer que o Inverno chegou com toda a sua força. 

Está um vento gelado, que consegue deixar a nossa cara vermelha de tanto frio. Ás vezes nem as luvas aquecem e o mesmo com o gorro, o vento entra pelos lados e congela-nos as orelhas.

Tenho quase a certeza que a neve deve estar mesmo à portinha e que venha ela.

Gosto muito de ver nevar, fazer bonecos na neve e gosto até mesmo do frio também, mas não deste como está hoje. Acreditem que está mesmo um gelo lá fora e vento também, o que faz com que a gente sinta mais frio.

Por muito que vos pareça estranho, quando existe grande quantidade de neve por exemplo, o frio não é tão gelado como o de hoje.

A sensação de humidade é bem menor com grande quantidade de neve do que sem esta. Mas tudo depende. 

Contudo, se a neve for puxada a vento forte ou se nevar e passado algumas horas chover fica um frio que não se aguenta. Como disse tudo depende. Assim como já me disseram que a sensação de frio é muito maior em Portugal do que aqui, devido ao oceano. Bem, de facto acho que tem a sua lógica mas não sou metrologista ou especialista na área, por isso não posso dizer muito, só apenas as diferenças que a maioria das pessoas falam e sentem assim como eu, relativamente a este belo fenómeno que é a neve.

O certo é que com neve, não é de todo tanto frio como este que se faz sentir hoje por estes lados.

No Inverno as árvores parecem mortas, não têm folhas, estão completamente nuas, a não ser os pinheiros que ainda conseguem manter as suas folhas.

O possibilidade de nevar está em alta nestes próximos dias e estes à muito que são bem curtos, escurecendo por volta das 16 horas/16:30 h.

Bem, nada como o quentinho de casa, entretida a escrever-vos, a ler e a pesquisar uma viagem para este ano.

Quem sabe, quem sabe....para já vou sou sonhando e pesquisando (risos).

 

 

 

A decoração mais bonita da minha casa, o meu frigorífico

A minha casa é bastante pequena, mas muito acolhedora.

Adoro estar em casa. No meu sofá então, nem vos digo!!!

Passo horas no sofá e adormecer nele é "quase" o melhor do mundo. Com a manta polar, um chocolatinho, bolinho, arroz doce ou pipocas sinto-me nas nuvens. Mas que efeito espectacular que ele dá, já viram?! 

Mas como eu estava a dizer, a minha casa é, embora pequena, suficientemente espaçosa, para já, para duas pessoas e quando vier a terceira será apenas uma questão de mudanças pouco trabalhosas e terei então espaço para mais uma pessoa. Vocês entendem bem ao que me refiro.

Até lá, até porque falta muito, gosto de a decorar de uma forma simples e agradável, pois adoro sentir-me bem aqui.

Não sou de comprar muitas coisas, mas de vez em quando gosto de mudar. Chateia ver sempre o mesmo e no que se refere a cores, gosto daquelas que dão "vida" a uma casa. Ainda à bem pouco tempo, troquei as cortinas do meu... vá, posso dizer escritório. Comprei uma verde, quase transparente e meti entre as duas brancas que lá estavam e não é que ficou diferente? Dá mais vida ao escritório e tudo!

Quando o sol nasce entra imensa claridade, o que é bom para a planta que lá tenho.

Por falar em planta, adoro flores/plantas. Contudo, não tenho muitas, pois não tenho onde as colocar.

Entre cortinas, plantas e o meu sofá, o que mais acho bonito é sem duvida alguma o meu frigorifico.

O que é que vocês acham?

O meu frigorifico

 

Nele, tem souvenirs que comprei em todos os lugares que já visitei, fossem comprados em "grandes" viagens ou pequenos passeios em algumas cidades, faço questão de comprar magnetes para o frigorifico.

Tenho quatro que são ligeiramente diferentes, embora o significado seja o mesmo. Lembrar e pensar neles cada vez que os olho.

SeaLife e Lego em Berlim foram um deles. Fui passar dois dias a Berlim. Foi a prenda que dei ao meu irmão de sete anos. Os dois dias foram só para ele. Tira-mos tantas fotografias e foi tão divertido que gosto de olhar para estas peças e ficar a recordar o entusiasmo dele e admito, até mesmo o meu. Nunca tinha ido e achei divertido poder aproveitar e visitar com ele. Quem tem filhos ou irmãos pequenos sabe muito bem o quanto estes momentos são mágicos para eles e a nós enche-nos o coração vê-los felizes.

No mercado de Natal em Berlim tiramos uma foto com montagens.

Ficou muito engraçada e as nossas caras mais ainda.

Por fim outra, que também não é um souvenir, mas é a lembrança do aniversário do meu sobrinho e afilhado.

Quando recebi, fiquei feliz e triste ao mesmo tempo. Foi uma mistura de sensações que só quem está fora do País entende. Foi o querer ter estado naquele que foi um dia especial e não ter tido essa oportunidade, mas também gostei de o ver e ter a certeza que ele é exactamente aquilo que está escrito na pequena foto.

"Não acrescente dias na sua vida, mas vida aos seus dias... " ele consegue e sabe muito bem preencher os dias de uma pessoa. Para além disso, ele é uma criança cheia de vida, bastante ternurenta, outras vezes rebelde, cheia de troques e manias, muito meiga e super inteligente, sabendo assim tornar todos os momentos e dias especiais. 

Praticamente viu nascer. A primeira roupinha foi a da Madrinha (eu) e a primeira foto fui eu que a tirei, até porque a seguir aos pais, fui eu a primeira a vê-lo.

Cuidei dele sempre que me foi possível. Tenho imensas fotos dele e adorava adormecer com ele, pois ele colocava as mãos no meu pescoço e dormíamos com os "narizes" colados um no outro. Ele era bebe na altura. Trocei fraldas e dei-lhe de comer. Brinquei e já corri imenso com ele (ele corre super rápido) e já ralhei entretanto com ele também. Ás vezes também tem de ser. Só tenho pena de estarmos tão longe, mas é óptimo saber, que ele terá sempre uma "segunda mãe", amiga, tia, madrinha e faço por ele exactamente o que faria por um filho.

Se ele está bem, eu também estou. 

Acima de tudo achei o gesto da minha irmã muito bonito. Eles são as duas únicas pessoas que terão sempre e para sempre o melhor de mim. Amo-os imenso e ela sabe que estes gestos de carinho, afecto, amor mexem imenso comigo, por isso mesmo ficou ali desde o primeiro dia que o recebi e nunca mais o vou tirar.

Existem momentos que nos marcam para sempre e por isso mesmo a minha casa tem fotos, muitas fotos, no qual me vejo muitas vezes a olhar e a relembrar do quanto foi bom naquela altura, da imensa saudade que deixou e principalmente do bom sentimento e sensação que permaneceu intacto até hoje.

Sabendo eu que existem lugares que provavelmente tão cedo não vou visitar novamente e quem sabe até, nunca mais vou ver, gosto de souvenirs como recordação. 

Dou por mim, imensas vezes a comer qualquer coisa na cozinha, de frente para o frigorifico a olhar para todos os souvenirs e fico ali a vaguear nas minhas memórias (...) deixaram saudades e foram tão boas que dá prazer olhar todos os dias para o meu frigorifico.

Ainda assim, gosto muito de planear viagens e fico sempre ansiosa para conhecer outras cidades e quem sabe mais países. Existe tanta coisa que gostava de ver, mas nem sempre as coisas correm como a gente quer, por isso mesmo gosto dos meus pés bem assentes na terra e para mim tudo tem o seu tempo. Se não for agora é depois, mais tarde. Pena que assim tenha de ser, é verdade, mas gosto de viver também e viver não pode infelizmente ser só viajar, ainda mais eu, que tenho mais planos alem destes.

Quatro souvenirs são só da cidade de Amesterdão, mas não, eu não estive lá quatro vezes. Sei que pode parecer incomum, mas eram todos tão lindos que eu peguei e trouxe todos eles. Cada um tem um significado diferente o que já faz surgir algum entusiasmo para quem não sabe. Ou não (risos).

Um deles é um moinho em que as varas andam à roda e em Amesterdão não faltam moinhos, por isso mesmo trouxe.

Um outro é com as bicicletas e os apartamentos. Ora, é lógico que tive de comprar.

São uns dos mais belos prestígios de se ver em Amesterdão.

O das tulipas, que tem também um moinho.

Eu sei, moinhos é repetido mas, este não tem varas que andam à roda (risos).

No campo onde tem tulipas, estes muinhos estão lá presentes. Prontos. Também já cá canta. 

Por fim tem os chinelos Holandeses, são muito conhecidos e faz lembrar a Holanda. Teve de ser. 

Três souvenirs são da Grécia, dois dos quais de cidades diferentes que ainda hei-de escrever sobre elas aqui.

E a terceira amostra o mapa da zona onde eu estive com as respectivas cidades vizinhas. Foram umas férias inesquecíveis.

Tenho mais outros três de Portugal.

O famoso galo de Barcelos conhecido pela sua história e porque é tipicamente português. 

Um que foi a minha Mãe que me deu, que é da minha cidade, Vila Nova de Gaia e entre estes, também Monsanto. Aquela que chamam "a terra mais bonita de Portugal". Adorei conhecer.

Espanha, tenho boas lembranças umas delas onde "conheci" o meu mais que tudo. Estive em Magluf. O peixe e o coração ao lado, relembram aquelas férias quentes de verão, super divertidas e com muito "love" á mistura.

Passado dois anos estive em Torremolinos no sul de Espanha e em Málaga. Praia, sol, boa comida e relaxar é o que se quer nas férias.

Estive em 2014 na Suíça, onde tenho primos. Uma semana que valeu a pena. Subir um monte cheio de neve e descender em cima de um trenó, acreditem, é pura adrenalina. Foi super divertido. 

Viajei até Praga à pouco tempo e obviamente o souvenir está presente para me fazer lembrar do famoso relógio de Praga, que tem uma história bem bonita.

Na Alemanha há muitíssimo para conhecer. Para além da sua história ser enorme, o País é exactamente o mesmo. Enorme. Com tempo lá vou eu (sempre muito bem acompanhada) visitar uma ou outra cidade. 

Passei por Hamburgo, Dresden, Naumburg, Magdburg e ai umas dez vezes por Berlim. E sem esquecer que vivo em Leipzig, uma cidade cheia de coisas bonitas, muita historia e com belos parques, mas desta ainda não preciso de souvenir. Hei-de também escrever sobre ela. 

Por fim tenho um souvenir de Luxemburgo e outro do Dubai. Lamentavelmente não estive (ainda) lá. Foram duas amigas que me deram, pois elas sabem que gosto destas coisas. Quem sabe um dia. Afinal, Luxemburgo é mesmo aqui ao lado e o Dubai é já ali (risos).

Espero que tenham gostado desta "viagem" ou "pequeno passeio", pois a próxima paragem deve estar para breve.

 

 

 

Pág. 2/2