Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Próxima Paragem

Próxima Paragem

Ao Nang, Krabi, Tâilandia

SAM_2937.JPG

No país dos sorrisos passei bons momentos na praia e na região de Ao Nang, localizada na zona costeira da cidade de Krabi. 

Ao Nang é banhada pelo mar de Andamão, mar este que me arrefeceu ligeiramente, visto que as suas temperaturas rondavam os 25 graus.

Lembro-me do primeiro dia que lá cheguei. Para além dos 36graus que se faziam sentir, aquela pequena região era barulhenta, cheias de turistas, cheia de barraquinhas que vendiam de tudo, tinha imensos restaurantes, bares e casas de massagens. Tinha também várias agências de viagens a cada esquina e a cada segundo passava um tuc-tuc... super giros.

Melhor do que os ver é mesmo andar neles.

SAM_2366.JPG

As barraquinhas com comida chamavam atenção a qualquer um que por ali passa-se. Tinham de tudo.

Comecei por beber os maravilhosos sumos de fruta natural.

Os de melancias eram divinais, mas o de mango também. Os de coco nem tanto. 

Passei dias a comer peitos de frango assados na brasa e os famosos Thai Spring Rolls com molho Sweet Chilli. Nem tenho palavras. Eram bons, mas bons.

20160305_122213.jpg20160309_200733.jpg

20160305_123852.jpg

A fruta era imensa e super suculenta. Era tudo extremamente barato.

Caminha-mos do hotel até a praia, cerca de dez minutos. Quando avistamos a praia, vimos também as famosas pedras calcárias de que tanto se ouve falar. 

A praia Ao Nang é bonita. Aliás, esta região chamada também de Ao Nang é toda ela bonita, mas a pequena ilha ao lado, a Railay Beach é bem melhor. Falarei dela no próximo post.

SAM_2885.JPGSAM_2373.JPG20160305_125258.jpg

Os barcos são típicos por lá, afinal, são eles que nos levam até ás restantes ilhase têm o nome de long tail boat.

São barcos feitos em madeira, seguros, mas com motores que infelizmente poluem bastante a água. Certo que qualquer motor polui, mas estes em especial já precisavam de ser trocados. Há custa deles a água fica ligeiramente escura e os motores fazem imenso barulho o tempo todo. Não dá sequer para adormecer na praia.

Fora isto, estes são barcos bonitos, decorados com fitas coloridas na frente e todos com colete salva vidas.

Não há como afundar.

SAM_2371.JPG

20160304_084242.jpg

 Aqui foi o primeiro lugar onde eu e ele estivemos desde que chegamos á Tailândia.

Senti que estava a viver um sonho e a verdade é que estava. Até chegar ali, foi uma aventura. Desde o começo da viagem na Alemanha até Bangkok e de Bangkok até Krabi.

Não achei as estradas de Krabi tão más como dizem ser, mas que é meio confuso lá isso é!

As pessoas que conduzem motas adoram andar sem capacete, já outras gostam de levar capacete e mais duas pessoas atrás. Enfim, é a loucura por aqueles lados. 

SAM_2428.JPG

Quanto aos postes de electricidade posso dizer que estes sim, metiam medo. 

Enquanto a gente caminhava por de baixo dos mesmo, conseguíamos ouvir o género de faíscas. Estávamos mesmo a espera do dia em que ia acontecer alguma desgraça...mas não. Correu tudo bem.

20160304_080604.jpg

20160304_080746.jpg

Como em todos os países este tem o seu lado bom, mau, divertido, assustador, estranho, lindo, quase perfeito, feio e desagradável.

Para mim o desagradável foi mesmo a canalização em geral que por aqueles lados não me pareceu das melhores, assim como o lixo pelas ruas e o fascinante "mundo" de luxo, com hotéis luxuosos e mesmo, mesmo ao lado, as barracas dos mais pobres.

Não gostei de ver e acho que era apenas isto que se eu pudesse mudaria por lá. Infelizmente é assim em todo lado, eu sei, ao mesmo tempo achei que poucos se importam com isso.

Ao viajar, nem sempre encontra-mos aquelas paisagens lindas e encantadores que vimos nas imagens. Estar no próprio lugar significa muito mais que isso, pois vemos a realidade das coisas e foi exactamente com esta realidade que voltei. Não achei mau ter voltado assim, embora não espera-se ver certas coisas, na verdade ao viajar, apenas nos cai a ficha de que, nem tudo é realmente o que parece.

Atenção! Não é por isso que não voltarei lá novamente, quem sabe, um dia 

 

 

 

 

 

 

4 comentários

comenta este post