Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Próxima Paragem

Próxima Paragem

Quando o longe se faz perto

Hoje, o meu sobrinho/afilhado faz anos de vida. Sete carinhosos anos.

Lembro-me dele não só diariamente, como também da Mãe dele, minha irmã, que hoje está mais feliz que nunca e com certeza com um sorriso rasgado de orelha a orelha.

Amo-os imenso e sinto a falta deles todos os dias. Fico triste por estar longe, mas não quero vir para aqui escrever lamechices.

A verdade é dura, é certo, mas eles estão bem e eu também. Isso é o que mais importa.

O menino bebé que vi, no primeiro dia, nas primeiras horas de nascença, está grande, bonito, saudável e cheio de energia para dar e vender. 

Cada vez mais inteligente, mais esperto e todos os dias aprender palavras novas. Fala que nem um tagarela, faz birra que nem um bebé pequenino, ri como uma criança feliz que é e dorme sossegado que nem um gato embrulhado num cobertor de pelos fofinhos, no nosso colo.

Na ultima vez que estive com ele, eu fui adormece-lo. Para quem não sabe, ele é um gozador de primeira, o que faz dele um menino cheio de troques e manias.

Lembro-me que lhe li uma história, conversei com ele, em cada palavra minha seguia-se um miminho na cara, pedi-lhe para que se portasse bem e obedece-se sempre à Mãe, que estudasse e come-se sempre tudo o que a Mãe lhe faz para ele levar para a escola.

Estão a ver, conversas de tias. Conversa também de quem não pode estar perto, mas que nem por isso o deixa de dizer cada vez que estamos juntos e mesmo quando falamos ao telefone.

Passado muito tempo, comecei a pensar que ele estava a demorar adormecer, ate que ele me pede para ir buscar um brinquedo e eu tive de fazer cara feia, pois a minha Mana já me tinha avisado:

- Atenção, que se ele não adormecer, provavelmente está a tramar alguma. Vai com certeza pedir qualquer coisa para poder brincar. 

Bem, visto a minha falta de experiência, disse para ele adormecer e que não ia buscar nada do que ele queria.

Ele, faz aquela carinha de menino triste e eu, levanto-me e vou ter com a minha irmã.

- Óh, mana, o rapaz não adormece e quer um brinquedo.

- Ahahahah, eu avisei. Deixa estar que ele comigo adormece.

Eu já sabia, ao tempo que estás lá dentro, ele só devia estar a dar-te gozo.

Visto isto, percebi bem melhor, que ele não é apenas inteligente e esperto, mas sim um verdadeiro sábio que sabe levar a tia.

Não foi nada de mais, mas deixou-me com a sensação de que perco muito por estar longe. Não o conheço como deveria e nem ele a mim.

Não o compro e não o obrigo a nada. Gosto de lhe perguntar o que ele gostaria de fazer e ir planeando algo que possa-mos fazer juntos. 

Sei que este Verão vamos fazer coisas super divertidas, juntamente com o meu irmão que tem oito anos.

Vamos brincar, rir, contar historias e vamos para além de tudo aproveitar o Verão. Estou feliz por já saber que vai ser divertido e ele vai estar todo contente e entusiasmado.

São poucos os momentos juntos, mesmo quando estou em Portugal não consigo passar todos os dias com ele, para minha tristeza, mas espero que lhe fique na lembrança, assim como a mim me fica, cada minuto juntos.

Quero, para além de tudo que ele saiba sempre que tem aqui a Tia, a Madrinha, a amiga, conselheira e companheira de aventuras que embora longe, está perto.

Ao som de uma chamada ou de uma mensagem e de imagens, o longe se faz perto. Que ele tenha sempre atitude bonita de nunca se esquecer destas palavras e de as praticar sempre.

Amo-te. Parabéns meu querido.

Vive não só este dia, mas todos intensamente e com o sorriso lindo que só tu sabes dar e receber.